top of page
  • Foto do escritorRedação GoHuman

Como lidar com transtornos mentais no ambiente de trabalho

Atualizado: 18 de dez. de 2023

Acompanhe nossa nova série de artigos para entender conceitos importantes sobre transtornos mentais e saber como lidar com essas condições no ambiente de trabalho

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma em cada oito pessoas no mundo sofre com algum tipo de transtorno mental. Ou seja, 970 milhões de indivíduos lidam diariamente com questões de saúde mental.

Porém, apesar da relevância desse indicador, esse assunto ainda é pouco debatido dentro das organizações – que, inclusive, muitas vezes podem potencializar transtornos mentais ou contribuir para a diminuição da qualidade da saúde mental dos profissionais.


Acabar com o tabu e colocar a saúde mental em pauta dentro das empresas é essencial para reverter esse panorama. 


Para ajudar a tornar isso possível, iniciamos hoje uma nova série de artigos que visa esclarecer conceitos importantes sobre transtornos mentais e revelar como as empresas devem lidar com essas condições no ambiente de trabalho.


Abrimos a série explicando o que são transtornos mentais e quais são os fatores que contribuem para o surgimento dessas doenças.


Acompanhe!


Leia também:


O que são transtornos mentais?


A OMS define transtornos mentais como perturbações significativas na cognição, regulação emocional ou comportamento de um indivíduo, geralmente associadas a sofrimento ou prejuízo em áreas importantes do funcionamento humano. 


A entidade indica que ‘esses transtornos também podem ser chamados de condições de saúde mental, um termo mais abrangente que inclui não só os transtornos mentais, mas também incapacidades psicossociais e outros estados mentais que trazem grande sofrimento, comprometem a funcionalidade dos indivíduos ou aumentam o risco de autolesão’. 


Rachel Goldgrob, cofundadora da GoHuman, complementa apontando que os transtornos mentais são estados psicológicos que persistem e que podem ter uma intensidade significativa, envolvendo alterações no comportamento, nas emoções, no pensamento e na cognição. 


“Basicamente, um transtorno mental é algo que impede a pessoa de ser funcional ou ter sua rotina normal, limita de alguma forma o dia a dia e afeta o bem-estar no nível mais profundo”, detalha.

5 fatores que contribuem para o desenvolvimento de transtornos mentais



Não existe uma resposta única à pergunta “o que leva alguém a desenvolver um transtorno mental?”.


Isso porque os transtornos mentais são multifatoriais, e o adoecimento é um processo, não acontece “do dia para a noite”. Portanto, qualquer diagnóstico precisa olhar não apenas para o hoje, mas para o histórico pessoal recente e passado, e também para questões como:


  • Predisposição genética. Experiências clínicas indicam que pessoas cujos pais tiveram diagnóstico de algum transtorno mental têm mais chances de também desenvolverem algum problema de saúde mental. Ou seja, a predisposição genética é um fator importante a se considerar.

  • Ambiente. Problemas estruturais de uma sociedade – como, no caso do Brasil, os índices elevados de violência, desemprego e desigualdade – são fatores do ambiente que contribuem para o crescimento na taxa de diagnósticos de ansiedade, por exemplo.

  • Uso de substâncias químicas. O uso contínuo de substâncias químicas durante um longo período causa inflamações no organismo que podem levar a um desequilíbrio responsável por um transtorno de ansiedade ou uma depressão.

  • Redes sociais. No que diz respeito às redes sociais como fatores relevantes nessa conta, dois aspectos são importantes: o que deixamos de fazer enquanto estamos "de olho no feed" e as comparações que fazemos entre a nossa vida e as das outras pessoas. 

  • Experiências pessoais. Por fim, vêm as histórias vividas por cada pessoa e que também podem ser fatores de risco para o desenvolvimento de transtornos mentais. Aqui, entram eventos como traumas de infância, episódios de assédio no trabalho, e assim por diante.


Fatores de risco e fatores de proteção relacionados ao desenvolvimento de transtornos mentais


Alessandra Cavalcante, cofundadora da GoHuman, reforça que “a intersecção de vulnerabilidades individuais com estressores externos contribui para o adoecimento mental – e para o agravamento de transtornos mentais”.


O gráfico abaixo, do Relatório Mundial da Saúde Mental, da Organização Mundial da Saúde, corrobora essa afirmação.



Nesse sentido, o documento indica alguns fatores de proteção e fatores de risco que podem desencadear o surgimento e/ou agravamento de transtornos mentais.


fatores de proteção contra transtornos mentais

fatores de risco para o desenvolvimento de transtornos mentais

Os transtornos mentais e seus impactos na vida profissional


Agora que já está mais claro o que são transtornos mentais e por que eles acontecem, é importante darmos uma atenção especial a algumas das condições que geram mais estigmas, desconforto e até conflitos no ambiente de trabalho. 


Nos próximos artigos, nos aprofundaremos nos mitos que cercam doenças mentais como transtorno bipolar, dependência química, ansiedade, entre outras, e revelaremos como as empresas podem acolher e ajudar profissionais neurodivergentes e que sofrem com essas questões.

A GoHuman promove discussões como esta em times executivos e conselhos. Gostaria de conhecer o nosso trabalho? Entre em contato e saiba como podemos ajudar.


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page